Grupo 8 - Desenvolvimento de Software

Bem Vindos à página do Grupo 8 - Desenvolvimento de Software


dilbert-software-requirements.gif

O tema da apresentação do nosso grupo é o Desenvolvimento de Software. Como tal, deixamos, para já, um breve conceito sobre o tema. O desenvolvimento de software é o acto de criar e implementar um software, com a finalidade de responder às necessidades dos clientes, sejam estes um único utilizador ou uma empresa, para que estes possam exercer a sua actividade profissional.

Membros do Grupo:

  • Alexandrina Sofia Ferreira Paiva
  • André Cláudio Martins da Silva
  • Carina Andreia Simões Martins
  • Cátia Isabel Rosa Nunes
  • Luís André Verdasca Gomes
  • Rita Caixinhas Alves Mimoso

A nossa apresentação

21-10-09

Após termos feito o mini-teste foi a nossa vez de fazer a apresentação do capitulo demoninado "Desenvolvimento do Sotware". Tinhamos como objectivo explicar em que consiste a matriz de McFarlan & McKenney.
Resolvemos fazer um resumo da nossa apresentação para que vos ajude a estudar para o 2 mini-teste…

Actualmente, grande parte das empresas está dependente das tecnologias de informação: seja em pouca ou grande quantidade. Os gestores de topo é que são os responsáveis por determinar que proveito a empresa pode retirar das tecnologias de informação. Ou seja, poderão preferir apostar mais na qualidade das tecnologias ou então na quantidade. Poderão verificar se a dependência da empresa sobre as tecnologias é mais ou menos importante no presente e no futuro.
O rumo que os gestores de topo determinarem para a empresa irá determinar a matriz estratégica da mesma.

estagio1.jpg
As matrizes foram inicialmente elaboradas por McFarlan, McKenney e Pyburn, em 1983 e é baseada em suposições:

- Cada organização tem uma matriz estratégica

- A utilização de uma matriz estratégica apropriada faz com que o investimento que a empresa aplicou em tecnologias de informação seja rapidamente restituído.

- A escolha adequada da matriz de uma empresa é feita com base na observação dos factores externos que incidem sobre a mesma, pois ter consciência das características da empresa facilita o processo de enquadramento de uma empresa na matriz.

- Planeamento Central – a ideia de que a tecnologia pode ser uma estratégia de negócio. Contudo, o gestor tem que ter em mente que ao investir na tecnologia estará abdicar de outra estratégia (como, se dedicar marketing, planos de produção, etc).

A identificação da matriz de uma empresa pode ser feita através de duas características. Elas são: a dependência actual da empresa em tecnologias e de que forma essa tecnologia poderá impulsionar a posição competitiva no futuro.

Os conceitos dos quadrantes da matriz estratégica não têm o significado que normalmente atribuímos a estas palavras.

  • A palavra “MANUFACTURA” não significa que se a empresa que se enquadra neste quadrante é uma fábrica. Significa sim que as empresas dependem das tecnologias de informação mas operações diárias, mas o investimento futuro em tecnologias de informação não é vantajoso.
  • O quadrante “REESTRUTURAÇÃO” não significa que a empresa se está a reorganizar, mas sim que é uma empresa que actualmente não é muito dependente de tecnologias de informação, mas que se investir nelas no futuro será vantajoso.
  • O quadrante “ESTRATÉGICO” significa que tanto actualmente como no futuro a dependência de tecnologias da informação é muito intensa e vantajosa para a empresa.
  • Por fim, o quadrante “SUPORTE” significa que a empresa não depende actualmente nem no futuro das tecnologias de informação pois não lhe irá trazer qualquer vantagem.

Esta imagem mostra-nos quais a estratégias que uma empresa deve adoptar para que se adeque a um dos quadrantes.

estagio2.jpg

Estratégico: estas duas características são a melhor forma da empresa assegurar que a melhor tecnologia de informação está integrada plenamente com o plano de negócios da empresa.

Reestruturação: as empresas devem desenvolver estratégias com tecnologia de ponta mesmo que culturalmente não sejam tão dependentes das TI.

Manufactura: estas empresas necessitam de ser fiáveis, consistentes e disponíveis.

Suporte: a redução dos custos que os recursos escassos provocam neste tipo de empresas faz com que o negócio se torne rentável pois estas são empresas que dependem pouco das TI.
Estas matrizes que acabamos de ver, servem também como ferramenta para determinar erros numa determinada área ou departamento da empresa.

Existem também outras características que nos permitem identificar a matriz estratégica de uma empresa e elas são:

Cultura da organização – por exemplo se a empresa for conservadora então a sua estratégia não se focará nas tecnologias de ponta.

Escolhas dos gestores de topo - ou seja, depende dos argumentos que os gestores utilizam a favor ou contra uma dada matriz.

Concluindo os factores determinantes da estratégia de informação da organização são:
- a sua actividade
- a sua estratégia
- a sua posição (ex: cultura, posição competitiva e tecnologia utilizada).

Video apresentado em aula:

http://www.youtube.com/watch?v=OfgfnZZdMlI

Perguntas do Jogo da nossa aula

  • O resultado das quatro combinações produz uma matriz ___(2x2)
  • Qual o papel dos usuários de Sistemas de Informação?
    • Planeamento Central
    • Tecnologia de Ponta
    • Mercado Livre
    • Monopólio
    • Recurso Escasso
    • Mal Necessário
  • Em quantas suposições é baseada a análise da directriz estratégica? Cinco.
  • Quais são?
    • Cada organização tem uma (matriz estratégica)
    • Melhora o retorno do investimento em TI
    • Informação e troca de ideias
    • Organizações diferentes são melhor servidas
    • Observação objectiva dos factores externos sobre a dita organização.
  • Para analisar a estratégia existente em uma firma:

Devemos (compreender) onde a firma está situada na grade; (ver) qual a directriz estratégica que a firma utiliza para comparar seu comportamento com as características listadas na tabela e a linha de discussão seguida e por último, _ (escolher) as estratégias listadas em cada quadrante da grade na última figura para ver se a estratégia da firma combina com sua posição.
As três determinantes da estratégia de informação da organização são _ (actividade), a __ (estratégia) e a (posição).

  • Os investimentos na tecnologia de informação devem estar alinhados com a (estratégia) de negócio. Um gerente pode sentir que esta meta é mais (facilmente) alcançada via tecnologia de ponta enquanto outro pode pensar que o dinheiro seria mais bem aplicado com _ (mais) propaganda.
  • Verdadeiro ou Falso?
    • Um gestor de alto nível tem uma atitude colectiva em direcção à tecnologia de informação. A atitude pode ser positiva ou negativa, favorável ou antagónica. _ (V)
    • A matriz estratégica de Planeamento Centralizado é caracterizada pelo “escasso” interesse da alta gerência em tecnologia de informação, compromisso em usá-la e envolvimento em planeamento de sistemas relacionados à tomada de decisão. _ (F) (elevado interesse)
    • As firmas na classe de Manufactura necessitam de serviços de TI que sejam confiáveis, consistentes e disponíveis. _ (V)
    • As firmas da classe de Suporte podem utilizar bem a estratégia de Recursos Escassos, porque são tão dependentes de TI como uma empresa da classe Manufactura. _ (F) (São tão dependentes de TI como…)
  • O eixo horizontal da matriz reflecte o quão dependente a organização está da ___ (tecnologia de informação)
  • O eixo vertical da matriz reflecte___ (o impacto estratégico operacional actual)
  • O quadrante estratégico consiste de firmas nas quais tanto as operações _ (actuais) como as vantagens competitivas ___ (futuras) dependem fortemente da _ (tecnologia de informação).
  • Refira 2 objectivos do planeamento estratégico SI/TI:
    • Alinhar os investimentos em SI/TI com os objectivos organizacionais, explorando as possibilidades de utilizar as TI para obter vantagem competitiva
    • Preencher o portfolio futuro de aplicações com sistemas de informação que satisfaçam os requisitos do negócio
    • Definir quais as aplicações a desenvolver ou a adquirir e respectivas prioridades
    • Desenvolver políticas e arquitecturas para as tecnologias de informação
    • Desenvolver uma boa gestão dos recursos humanos e materiais necessários na área SI/TI
  • Quantas são as etapas da evolução dos SI/TI? 6
  • Qual é a 7º etapa? Não há
  • Refira 3 etapas da evolução dos SI/TI
    • Iniciação
    • Contágio
    • Controlo
    • Integração
    • Administração de dados
    • Maturidade
  • A etapa 4: A Integração, consiste em quê?

Adopção de novas tecnologias (e métodos) para integração dos sistemas. Necessidade da disponibilidade de utilização de bases de dados online. Acréscimo de controlo por parte dos utilizadores finais

  • O Modelo de McFarlan consiste numa matriz 3 por 3: Verdadeiro ou Falso
  • Quais são as fases da matriz de McFarlan & McKenney? 4
  • Para obter uma aplicação de SI/TI podemos alugá-la? Verdadeiro ou Falso
  • Diga 2 formas de obtenção de uma aplicação de SI/TI.
    • Comprar a aplicação
    • Alugar a aplicação (leasing)
    • Utilizar Open Source Software
    • Utilizar a aplicação no modo software-as-a-service (SaaS)
    • Desenvolver a aplicação internamente ou recorrendo a outsourcing
  • Perfis Existentes na Equipa de Desenvolvimento de um SI: Profissional especializado em avaliar e projectar um SI (Analista de Sistemas); Profissional que modifica o SI já existente ou programa um novo sistema que satisfaça os requisitos do utilizador (Programador)
  • Duas Vantagens do ciclo clássico do desenvolvimento de SI
    • Controlo
    • Responsabilidade
    • Detecção de erros
  • No estudo de viabilidade do Sistema que parte determina se o novo sistema é compatível com a cultura organizacional? – Comportamental
  • Qual a fase do ciclo de vida em que o sistema se encontra em produção? Operação
  • Define CASE – Computer Aided Software Engineering
  • É necessário conhecer as características de uma organização para seleccionarmos a estratégia mais adequada? V/F
  • Cada empresa tem os seus objectivos, qual é uma das formas da empresa descobrir maneiras de os alcançar? Matrizes estratégicas.
  • Uma empresa teve um problema na sua rede de computadores e terá de ficar 1 ou 2 dias sem poder usá-lo. É incómodo mas sobrevive sem custos económicos. De que lado da matriz está a empresa? Direito.
  • O que aconteceria às empresas que se encontram do lado esquerdo se o seu processo de actualização tivesse desactualizado? Desastre económico significativo, pois têm forte dependência das TI.
  • O eixo vertical da matriz reflecte a importância potencial da tecnologia de informação em fazer a empresa mais competitiva no futuro? V/F
  • Empresas com produtos semelhantes nas mesmas industrias têm a mesma opinião sobre a importância das TI para o seu desenvolvimento? V/F (depende do tipo de estratégia usada)
  • O quadrante “Manufactura” da matriz significa que a empresa neste quadrante fabrica coisas? V/F
  • Advinha o quadrante:
    • Firmas que nem dependem extensivamente de TI actualmente e nem objectivam ganhos com vantagens competitivas futuras. Suporte
    • Firmas nas quais as operações actuais não são tão altamente dependentes da TI mas as vantagens competitivas futuras serão. Manufactura
  • Que quadrante da matriz utiliza estratégias como recursos escassos, monopólio, mal necessário e livre mercado? Suporte
  • Quais as estratégias usadas pelas empresas que estão no quadrante estratégico? Planeamento Central e Tecnologia de Ponta.
  • Para criar uma boa estratégia o que é preciso fazer primeiro? Localizar a empresa num dos quadrantes da directriz principal.
  • Mesmo utilizando o quadrante certo da matriz e as estratégias certas, a empresa pode ter falhas. Porquê?
    • Cultura de organização
    • Preferência da gerência de topo

Identifica o que se faz em cada estratégia específica:

  • Mercado livre: Identificar e executar oportunidades para o uso competitivo de TI em todos os níveis.
  • Recursos escassos: Identificar a justificação de custos de projectos quando eles surgem.
  • Qual é a estratégia: Buscar a utilidade interna de informação da empresa quando necessitar de algo. Monopólio.
  • Identifique duas das tarefas da gerência.
    • Estar ciente que a firma tem uma matriz estratégica
    • Demarcar, ou confirmar o que já foi determinado sobre aquela matriz estratégica
    • Verificar se a matriz estratégica da empresa é apropriada para a sua situação e sua cultura
    • Comprometer-se pessoalmente a executar suas responsabilidades sob aquela matriz estratégica
    • Assegurar-se que o resto da firma está ciente da matriz estratégica, saber o que significa para eles e actuar consistentemente.
  • Indique as três determinantes da estratégia de informação da organização.
    • A actividade
    • Sua estratégia dentro daquela actividade
    • Sua posição, que engloba cultura, posição competitiva em sua actividade e o uso de tecnologia.

28-10-2009

Esta aula consistiu no inicio da apresentação do tema 9 dos slides das aulas, ou seja, “Modelização da informação - Diagrama de Classes”.

Tópicos:
1. Crise de Software
2. Métodos e Metodologias
3. Metodologias Orientadas por Objectos
4. Unified Language Modeling - UML
5. Objectos e Classes
6. Diagramas de Classes

Os conceitos mais abordados na aula de hoje, foram principalmente os conceitos de Classe e Objecto.

Deste modo, foi-nos pedido para enumerar as classes e os seus atributos do exercício da "Rendiauto", disponínel na página da cadeira.
Como tal, deixamos aqui as Classes e os respectivos atributos:

Cliente:

  • Nome
  • Morada
  • Telefone
  • Nº de BI
  • Nº e data da licença de condução

Aluguer:

  • Data de entrega e de devolução
  • Hora de entrega e de devolução
  • Local de entrega e de devolução
  • Valor a pagar

Categoria:

  • Preço

Veículo:

  • Modelo
  • Marca
  • Matrícula
  • Cilindrada
  • Ano de fabrico
  • Valor de aquisição

Cartões de Cliente:

  • Validade
  • Valor de desconto
  • Tipo de cartão
  • Nº do cartão

Extra:

  • Ar Condicionado
  • Tecto de abrir

Reserva:

  • Data de entrega e de devolução
  • Hora de entrega e de devolução
  • Local de entrega e de devolução
  • Valor a pagar

Local:

  • Local de entrega
  • Local de devolução

Tipo de Cliente:

  • Especial
  • Normal

02-11-2009

Continuação da aula anterior, partindo do slide 28 da apresentação 9 “Modelização da informação - Diagrama de Classes”.

Tópicos:

7. Relações entre Classes
8. Como identificar Classes
9. Exercícios

  • Nesta aula começamos por corrigir parte do exercício realizado na aula anterior.
fhdg.jpg
  • No intuito de ajudar a perceber os conceitos dados (relações entre classes, associações, multiplicidade, agregação, composição…) realizámos vários exercícios:

Ex.1
Um funcionário pode trabalhar para um departamento. Num departamento podem trabalhar muitos funcionários.

rw.jpg

Nota: (min… max)
- Relação de um para muitos

Ex.2
Uma pessoa pode ser sócia de muitas associações. Uma associação pode ter muitos associados.

asd.jpg

Nota: Uma associação tem de ter pelo menos uma pessoa

Ex. 3
Uma factura só pode dizer respeito a uma encomenda. Uma encomenda não pode dar origem a mais do que uma factura.

a1.jpg
  • A partir do slide 33, realizamos um exercicio sugerido pela professora.

a5.jpg

  • A partir do slide 35, a professora pediu por fila um exemplo de cada frase do slide.

O nosso foi:

» (1..*) – um ou mais

a2.jpg

Na continuação do mesmo assunto, e juntando os conceitos de agregação e composição, fizemos ainda:

Ex.1
Um Hotel é composto por quartos.

a3.jpg

Nota: Se o Hotel for destruido, os quartos também o são.

Ex.2
Uma colectanea de músicas é formada por músicas.

a4.jpg

Nota: Pode haver músicas sem colectanea.

Acabamos a aula no slide 44.


4-11-2009

Começámos a aula no slide 44, onde tinhamos acabado na aula anterior.
Toda a aula foi resolução de exercicios de modo a consolidar-mos os conceitos dados.

Ex.1
Um espectáculo ou é um musical ou é um teatro. Os musicais e os teatros têm informação especifica.
Musicais têm musica e estilo. Teatro têm companhia, autor e encenador.
Mas como são espectáculos ambos têm data, descrição e duração.

1.jpg

Ex.2
Uma conferência académica tem muitas sessões e em cada sessão são realizadas várias apresentações. (cada apresentação só pode ser feita uma vez).

2.jpg

Classe Associação ou Classe Atributiva

Ex.3
Um produto pode estar em várias encomendas e em diferentes quantidades.
Dependendo da quantidade encomendada é o preço do produto.

3.jpg

Nota: Sempre que existir uma classe associação a relação de cardinalidade é de "muitos para muitos" (0..*) nos dois lado. Contudo o inverso não se verifica,

Ex.4
O aluno tem nota numa determinada disciplina.

4.jpg

Relação entre Classes
Entre duas - Binária
Entre apenas uma - Unária ou Reflexiva
Entre mais de duas - N-Ária

Ex.5
Uma receita médica pertence a um único paciente, mas um paciente pode nunca ter recebido uma receita ou já ter recebido muitas.
Em cada receita pode haver muitos medicamentos diferentes, sendo que a quantidade depende da receita médica.

5.jpg

Método de Booch
Consiste em sublinhar no texto apresentado as classes existentes.


09-11-2009

Na aula de hoje aprendemos as Regras de Transformação, ou Mapping, do Diagramas de Classes para o Modelo Relacional.

modelo.ti.jpg

Representação do Modelo relacional

Classe (atributo primário, restantes atributos, atributo estrangeiro)

factura.ti.jpg

O atributo próprio da linha de factura é a quantidade.

No slide 8, que possui um exemplo de uma base de Dados Relacional, respondemos às perguntas elaboradas pela professora e chegámos às seguintes conclusões:
Tabelas: 4
Classes: 4
Classe Associativa: linha de factura porque a chave primária é formada por dois atributos de outras tabelas
Cada linha das tabelas é composta por objectos.
Grau da tabela factura: 4

No slide 12 a morada é considerada uma chave estrangeira porque existe um código para cada morada.

Por fim, aprendemos a Regras de Transformação:

1ª REGRA – Classe
Cada linha corresponde a um objecto.
É necessário saber qual o tipo de atributo a que cada atributo pertence.

2ª REGRA – Chaves Primárias
Todas as tabelas devem possuir uma chave primária.

3ªREGRA – Associação de “um para um”
Duas tabelas para se poderem interligar necessitam de possuir um atributo igual. Esse atributo terá que ser chave primária numa tabela e chave estrangeira na outra para que a interligação se estabeleça.

4ª REGRA – Associação de “um para muitos”
A chave estrangeira está sempre do lado da obrigatoriedade.
Através do exemplo do slide 23, a professora arranjou-nos outro exemplo e a partir dele elaborarmos o seguinte diagrama de classes:

trabalhador_departamento.ti.jpg
Trabalhador (cod_trabalhador, nome, morada, cod_departamento)
Departamento (cod_departamento, designação)

5ª REGRA – Associação de “muitos para muitos”

Quando “muitos para muitos” não têm um atributo próprio utiliza-se o verbo e constrói-se uma tabela com esse verbo. Posteriormente, incluímos nessa tabela as chaves primárias das classes que queremos interligar.

aluno_escola.ti.jpg

Aluno (B.I., nome, morada)
Escola (Cod-escola, nome, tipo)
Frequenta (BI, cod-escola)

6ª REGRA – Classe Associativa

aluno_disciplina_avaliação.ti.jpg

7ªREGRA – Associação N-árias (N≥3)

Exemplo: A forma como é definido o preço dos bilhetes, de espectáculos. Apenas tem sentido atribuir um preço a um bilhete após determinar o espectáculo, qual o tipo de lugar, tipo de bilhete (estudante, criança, 3ª idade).

tarifário.jpg

Espectáculo (cod. de espectáculo)
Tipo de lugar (cod. do lugar, número do lugar)
Tipo de bilhete (cod. tipo de bilhete, % de desconto)
Tarifário (cod. do espectáculo, cod do lugar, cod. tipo do bilhete, preço)

8º REGRA – Associação em Agregação

9ª REGRA - Associação de Composição

Exemplo:

encomenda.ti.jpg

Chave primária da parte é composta pela chave primária da própria e a primária do todo.

10ª REGRA – Associação de Generalização

1) Colocar todos os atributos das subclasses dentro da superclasse e acrescentando ainda a chave estrangeira. Posteriormente as subclasses que não possuírem alguns atributos da superclasse deve aparecer a designação de NULL, que significa que aquele atributo não está presente naquela classe.
2) É utilizada quando a superclasse é abstracta e no esquema de classes apenas são consideradas as subclasses.
3) Considera tanto a superclasse como as subclasses.


11-11-2009

Na aula de hoje, aplicamos a teoria leccionada, nas aulas anteriores, num exercício prático apresentado à turma, que se encontra disponível no site da disciplina (Ex.2 SuperPizzas).
Pretendia-se elaborar um diagrama de classes e a respectiva tabela, são elas:

Diagrama de Classes:
ti.bmp

Esquema Relacional:
ti2.bmp


Aula do teste - 16/11/2009

como-estudar.png

Aula de SAP- 26/11/2009

SAP.jpg

Nesta aula especial leccionada pelo Sr.Duarte ficámos a conhecer melhor como funciona, o software de gestão empresarial,ERP, que lidera, actualmente, os mercados mundias neste sector: SAP

Este sistema, que envolve as tecnologias de informação, permite registar todos os fluxos do processo normal de compra e venda de uma empresa e tudo o que advém desse processo. É um sistema bastante versátil pois consegue adequar-se à dimensão da empresa e a todas as suas especificidades internas (como as características dos seus produtos e das suas vendas, por exemplo) através de componentes adicionais (Add On's). É ainda um sistema multilíngua, instalado em mais de 50 países, adoptanto, por isso, os requisitos legais para todos esses países.

Foi-nos apresentado, mais concretamente, a SAP para pequenas e médias empresas (SAP business one 2005). Ao abrir o software destacam-se três separadores principais: módulos, "drag e relate" e menu utilizador.
No separador "módulos" podemos encontrar outros separadores tais como:
Compras- onde se realizam todos os registos relacionados com as compras como: ordem de compras, entrada de mercadoria, devolução de mercadoria, factura do fornecedor,etc…
Vendas
Financeiro
Administração
Pagamento
Relatórios

Analisámos e efectuámos os registos de um processo de compra e venda fictício, e verificámos que com o auxílio das ferramentas existentes nos separadores (conteúdo, logistíca, contabilidade) há uma enorme facilidade em controlar todo o processo e em registar os movimentos de uma forma clara, organizada e segura.

No separador “drag e relate” encontramos toda a informação dos módulos detalhada e apresentada de diferentes formas, como gráficos, calendarizações,etc… premitindo uma leitura mais acessível.

No separador “menu utilizador” são efectuadas as configurações do sistema,que o utilizador pretender.

A SAP pretende assim, através deste desenvolvido software, fornecer soluções para o melhor funcionamento de uma organização destinadas a aumentar, em grande nível, a sua "performance". Sendo a única entrave o elevado preço deste sistema, pois existem custos do próprio programa, de implementação e de manutenção.

Curiosidade:
Dia 1.Janeiro, a SAP Portugal vai ser remodelada, pois irão ser feitas alterações, na contabilidade, do POC para o SNC.

Esta aula foi muito importante pois este sistema tem vindo a crescer e é necessário compreender como ele funciona.
Para mais informações: http://www.sap.com/portugal/
No youtube também irão encontrar um video explicativo sobre a importância e aplicação do SAP : http://www.youtube.com/watch?v=I1fAcjEIEEM

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License